Páginas

sábado, 1 de outubro de 2016

Vídeo na íntegra do último arrastão de Danilo Godoy 40 - Coligação Bom Conselho Pra Frente.


A última caminha e comício da coligação “Bom Conselho Pra Frente”, que tem como candidato a reeleição Dannilo Godoy e a vice Cláudia Ferreira, foi marcada por um verdadeiro Tsunami amarelo que invadiu as ruas centrais da cidade de Bom Conselho, culminando com o comício de encerramento na Praça Dom Pedro II.


Para os partidários do atual prefeito, esse foi o maior arrastão da história da cidade, quando as primeiras pessoas chegaram a Praça Dom Pedro II, ainda tinha gente em frente ao centro Cultural (cuscuz), descida da ladeira que leva ao cemitério municipal.

Assista ao vídeo acima, gravado na íntegra e tire suas conclusões. 

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Onda amarela invade Bom Conselho em caminha e comício de Dannilo Godoy.


A última caminha e comício da coligação “Bom Conselho Pra Frente”, que tem como candidato a reeleição Dannilo Godoy e a vice Cláudia Ferreira, foi marcada por um verdadeiro Tsunami amarelo que invadiu as ruas centrais da cidade de Bom Conselho, culminando com o comício de encerramento na Praça Dom Pedro II.


Para os partidários do atual prefeito, esse foi o maior arrastão da história da cidade, quando as primeiras pessoas chegaram a Praça Dom Pedro II, ainda tinha gente em frente ao centro Cultural (cuscuz), descida da ladeira que leva ao cemitério municipal.







quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Assista ao Vídeo da Caminhada Coligação Muda Bom Conselho - Capitão Boanerges 25


A noite dessa quarta-feira (28) ficará marcada para a coligação “Muda Bom Conselho”, que tem o Capitão Boanerges candidato a prefeito e Né Padilha a vice, além dos postulantes a uma cadeira no legislativo. Uma multidão de pessoas concentraram-se no bairro Nossa Senhora de Fátima, conhecido por 50 casas, de onde saíram em caminhada para a rua Monsenhor Marques (Rua do Caborge), ao passarem pela praça Dom Pedro II, no centro de Bom Conselho, o local foi tomado por motos e eleitores da chapa, para a coligação essa foi uma das maiores caminhadas eleitorais no município.

“Coligação Muda Bom Conselho” – Capitão Boanerges realizou caminha e comício de encerramento nessa quarta-feira (28).


A noite dessa quarta-feira (28) ficará marcada para a coligação “Muda Bom Conselho”, que tem o Capitão Boanerges candidato a prefeito e Né Padilha a vice, além dos postulantes a uma cadeira no legislativo. Uma multidão de pessoas concentraram-se no bairro Nossa Senhora de Fátima, conhecido por 50 casas, de onde saíram em caminhada para a rua Monsenhor Marques (Rua do Caborge), ao passarem pela praça Dom Pedro II, no centro de Bom Conselho, o local foi tomado por motos e eleitores da chapa, para a coligação essa foi uma das maiores caminhadas eleitorais no município.

Clique aqui e assista ao vídeo da caminhada









Última Grande Caminhada de Dannilo Godoy 40 - Coligação Bom Conselho Pra Frente.



O candidato a reeleição, Dannilo Godoy, da coligação "Bom Conselho Pra Frente - 40", fará sua última grande caminhada e comício de encerramento nessa quinta-feira (29), onde convida para todos vestirem amarelo e caminharem pelas ruas centrais da cidade

A concentração acontecerá a partir das 19 horas, no bairro Nossa Senhora de Fátima, mais conhecido por 50 Casas.

Para encerrar Dannilo Godoy citou: "Chegamos a reta final e você não pode ficar de fora. Eu e toda família 40 contamos com sua presença. Um forte abraço. Dannilo Godoy."

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Dez motivos que levaram os bancários à greve.



Como os bancos ainda não apresentaram proposta decente de valorização dos trabalhadores, categoria permanece de braços cruzados desde o dia 6 de setembro; razões não faltam! Escolha a sua e pare!

1 – Empregos: só neste ano, os bancos extinguiram quase 8 mil postos de trabalho e se recusaram a negociar qualquer proteção aos empregos bancários.

2 – Perdas salariais: o reajuste proposto pelos banqueiros nem mesmo repõe a inflação.

3 – Abono não é remuneração: o abono proposto pela Fenaban é pago apenas uma vez e não incide nas férias, 13º salário, FGTS, vales, auxílios e previdência.

4 – O setor mais lucrativo: segundo a consultoria Economatica, entre 25 setores pesquisados, os bancos foram os que mais lucraram no 1º trimestre do ano.

5 – PLR: BB, Caixa, Itaú, Bradesco e Santander, que compõem a mesa de negociação, ignoraram a reivindicação dos bancários e, apesar de terem chegado a R$ 29,7 bilhões de lucro, querem manter a mesma regra de 2015 para a Participação nos Lucros e Resultados.

6 – Vale-refeição na licença-maternidade: mesmo que signifique pouco para os bancos, que têm subsídio de 40% no valor, disseram não a essa reivindicação que seria de grande importância para as mães bancárias.

7 – Vida de bancário não é moleza: assédio moral, cobrança por metas, adoecimento, sobrecarga de trabalho, terceirização. Os bancos não fizeram nenhuma proposta para melhorar as condições de trabalho.

8 - Desigualdade entre homens e mulheres: mesmo representando um setor onde mulheres ganham em média 22,1% a menos que homens, e encontram mais dificuldades na ascensão da carreira, a Fenaban mais uma vez quer adiar este debate para uma mesa temática.

9 - Auxílio-creche/babá: bancos querem reajustar em 6,5% o valor atual de R$ 337, que iria para R$ 359. Porém, creches públicas não dão conta e empresas, por lei, têm de disponibilizar ou pagar creche para filhos dos funcionários. A reivindicação da categoria é que o valor seja de R$ 880.

10 – Responsabilidade social: no momento que o Brasil atravessa, o setor mais lucrativo do país deveria contratar mais funcionários e injetar dinheiro na economia a partir da justa valorização dos seus trabalhadores. E não o contrário, como os bancos insistem em fazer.

Romero Ferro lança seu primeiro disco “Arsênico”.


Romero Ferro, cantor e compositor pernambucano, natural de Garanhuns, trilhou os primeiros passos da sua carreira com o lançamento do EP autoral “Sangue e Som”, em Outubro de 2013. A turnê do seu primeiro trabalho rodou por todo o nordeste, com shows no 24º FIG (PE), Festival MADA (RN), Festival Móbile (PB), Teatro de Santa Isabel (PE), Marco Zero(PE), Janeiro de Grandes Espetáculos (PE), Teatro Severino Cabral (PB), e em mais inúmeros locais dentro e fora do estado.

Arsênico é o primeiro disco de Romero. A dose de pop presente no disco alinhada a ritmos tradicionais e contemporâneos são fundamentais na construção da identidade do álbum e do próprio cantor. O álbum foi produzido pelo carioca Diogo Strausz (com co-produção do pernambucano Amaro Freitas), também responsável por discos de artistas como Alice Caymmi e Castello Branco.

Feita pra dançar – aliás, a proposta do disco é ser dançante, ensolarado e, ao mesmo tempo, denso e reflexivo em suas temáticas –, a faixa de abertura ‘Hoje’ já diz a que Arsênico veio. A poesia faz um contraponto em tom reflexivo sobre o mundo descartável em que vivemos, os relacionamentos vazios, o culto exacerbado à imagem, um manifesto anti-padrão ao sentenciar: ‘viver de vaidade, pra quê?’.


Arsênico já está disponível em todas as plataformas digitais!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Caminhada e Comício de Encerramento - Capitão Boanerges "Coligação Muda Bom Conselho".


O candidato a prefeito da coligação "Muda Bom Conselho -25", Capitão Boanerges, fará uma caminhada e o comício de encerramento nessa quarta-feira (28), a concentração acontecerá a partir das 18 horas, no bairro Nossa Senhora de Fátima, mais conhecido por 50 Casas, com destino a rua Monsenhor Marques, conhecida por rua do Caborge, onde acontecerá o comício de encerramento.

Celular e máquina fotográfica são proibidos na cabina de votação



A cabina de votação é o local reservado da seção eleitoral em que o eleitor pode expressar, com total sigilo e inviolabilidade, seu voto na urna eletrônica. Assim, quando se dirigir à cabina de votação, o eleitor deve tomar cuidado para respeitar as proibições contidas na legislação eleitoral para que tudo corra dentro da normalidade no instante do voto.

Com o objetivo de assegurar o sigilo da votação, não é permitido ao eleitor, na cabina, o uso de celular (inclusive para tirar “selfie” do momento do voto). Também são proibidos máquinas fotográficas, filmadoras, equipamentos de radiocomunicação ou qualquer instrumento que possa comprometer esse sigilo. Cabe à mesa receptora reter esses objetos enquanto o eleitor estiver votando.

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga ressalta que “quando o eleitor se dirige ao local de votação, é necessário ter em mente que está ali para o exercício de um direito de alta relevância na sua condição de cidadão”. “É um momento solene, em que ele exerce o seu direito de se expressar democraticamente para escolher, dentre os candidatos que concorrem, aqueles que entenda serem os mais aptos para exercer os cargos em disputa: cargos que determinam o exercício, pelo prazo de quatro anos, do mandato de prefeito e vereador, por exemplo, que cuidam das competências executivas e legislativas, respectivamente, no plano municipal”, acrescenta.

Sobre o sigilo do voto, o ministro salienta que “tão importante é esse direito que o cidadão deve exercê-lo com absoluta liberdade, ou seja, é dever da Justiça Eleitoral zelar para que o eleitor vote sem qualquer assédio, intervenção ou constrangimento”. “Mais que isso, a garantia do sigilo do voto se projeta como benefício para a sociedade, haja vista que a percepção de liberdade, para se manter íntegra, não pode ser abalada por episódios que se convertam em desconfiança contra o processo democrático. Com efeito, atuar contra a liberdade do voto, em qualquer hipótese, tem repercussão contra os interesses da sociedade e do país como nação. Isso porque o direito ao voto livre e consciente é um direito de igual valor para todos os cidadãos que estejam no pleno gozo de seus direitos políticos”, afirma o ministro.

Admar Gonzaga alerta que atentar contra a liberdade do voto é crime, conforme previsto no artigo 312 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965). “Portanto, caso o eleitor se apresente ao local de votação portando algum tipo de equipamento (máquina fotográfica, filmadora, celular, tablet etc.) capaz de registrar o próprio voto, deverá ser advertido a não utilizá-lo pelos mesários a serviço da Justiça Eleitoral”, observa.
“No caso de desobediência ou que a utilização desse tipo de equipamento seja apenas percebida após o exercício do voto, o fato deverá ser registrado em ata, pelo presidente da Mesa Receptora, para fins de apuração da hipótese de crime ou outra espécie de ilícito, dentre os quais a corrupção eleitoral, que, além de igualmente constituir crime, pode determinar a cassação do mandato do eleito, caso se apure a participação direta ou indireta do eleito no ilícito”, destaca o ministro.

Lembrete
No momento de votar, o eleitor pode levar para a cabina uma “cola”, um lembrete, ou seja, um papel com os números de seus candidatos para que possa marcar na urna eletrônica. Imprima aqui a sua.


Propaganda de boca de urna no dia da eleição é proibida e constitui crime

  
Arregimentar eleitores ou fazer propaganda de boca de urna no dia da eleição é crime. A Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições), artigo 39, parágrafo 5º estabelece a punição de detenção de seis meses a um ano, com a alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e multa no valor de 5 mil a 15 mil UFIR. É preciso ficar atento ao que diz a legislação para não sofrer sanções.

Também constituem crimes, no dia da eleição, segundo a lei: o uso de alto-falantes e amplificadores de som ou a promoção de comício ou carreata; e a divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos. O eleitor que for flagrado praticando tais crimes receberá as mesmas punições.

Por outro lado, a legislação permite, no dia do pleito, a manifestação individual e silenciosa da preferência do eleitor por partido político, coligação ou candidato, revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches, dísticos e adesivos.
No entanto, é vedado, até o término do horário de votação, qualquer ato que caracterize manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos, tal como a aglomeração de pessoas portando vestuário padronizado.

O uso de vestuário ou objeto que contenha qualquer propaganda de partido político, de coligação ou de candidato também é proibido aos servidores da Justiça Eleitoral, aos mesários e aos escrutinadores, no recinto das seções eleitorais e juntas apuradoras.

Os fiscais partidários, nos trabalhos de votação, somente podem usar crachás em que constem o nome e a sigla da legenda ou coligação a que sirvam, também sendo vedada a padronização do vestuário.

Pesquisas eleitorais

No dia da eleição, é permitida a divulgação, a qualquer momento, de pesquisas eleitorais de intenção de voto realizadas antes do pleito. Já a partir das 17h do horário local, quando encerrada a votação, também podem ser divulgadas as pesquisas feitas no dia da eleição.


Segundo o artigo 10 da Resolução n° 23.453/2015 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na divulgação dos resultados de pesquisas devem ser informados os seguintes dados: o período de realização da coleta de dados; a margem de erro; o nível de confiança; o número de entrevistas; o nome da entidade ou da empresa que a realizou e, se for o caso, de quem a contratou; e o número de registro da pesquisa.

Eleitores não podem ser presos a partir de hoje.



A partir de hoje (27), eleitores não podem ser presos ou detidos, salvo em flagrante ou para cumprimento de sentença criminal. A regra está prevista no Código Eleitoral, que entrou em vigor em 1965 e serve para garantir a liberdade do voto. No próximo domingo (2), mais de 144 milhões de eleitores vão às urnas para eleger vereadores e prefeitos. A regra vale até 48 horas após o encerramento do pleito.

Na prática, mandados de prisão não devem ser cumpridos pela Polícia Federal, principalmente na Operação Lava Jato, até a semana que vem, para evitar nulidades nos processos criminais. A regra foi inserida na legislação eleitoral em 1932, com o objetivo de anular a influência dos coronéis da época, que tentavam intimidar o eleitorado. Atualmente, juristas questionam a impossibilidade das prisões, mas a questão nunca foi levada ao Supremo Tribunal Federal (STF).
A proibição está no Artigo 236, do Có
digo Eleitoral, e o texto diz: "Nenhuma autoridade poderá, desde 5 (cinco) dias antes e até 48 (quarenta e oito) horas depois do encerramento da eleição, prender ou deter qualquer eleitor, salvo em flagrante delito ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto."


Fonte: Agência Brasil

COLUNA ENSAIO GERAL: O MORTO VIVO

            

      No começo desta semana a campanha de reeleição de Danilo Godoy foi para o BAIRRO DE VAVÁ, no meio da festa o locutor pega o microfone e diz que a caminhada estava sendo cancelada, devido Luciano (o gago de Pedro Leriano) ter falecido. Houve muitos murmúrios e lamentos. As pessoas vão se retirando para suas casas. Alguns eleitores se dirigem para a casa de Luciano que é na mesma rua que estava havendo a caminhada. No instante em que uma senhora se aproxima do portão da casa do morto, ele surge sem camisa e pula para fora dizendo – EU EU EU NÃO MORI NÃO, EU EU EU AINDA TÓ MAMAMANDO. A senhora levou um susto pulou de costa e se desequilibrou, e ao caiu tentou segurar no nosso grande amigo Zé Siqueira que estava atrás que caiu junto com ela.


 A senhora foi socorrida, pois na queda desmentiu o pé. O locutor informado que o MORTO ESTAVA VIVO continuou o arrastão. Depois foi explicado que a sogra do gago que mora na cidade de Iati era quem tinha morrido. 

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Padre Marcelo confirma furto a Casa Paroquial.




O Pároco da cidade de Bom Conselho, padre Marcelo Protázio, em conversa com a redação do nosso blog, confirmou o furto ocorrido na Casa Paroquial, segundo informações do pároco, no domingo (25), por volta das 02 horas da madrugada, um homem de terno, adentrou na casa paroquial, onde arrombou a janela de acesso à secretaria e levou em torno de R$ 300,00 (trezentos reais), não levando nenhum outro bem. O que chama a atenção é que não há indícios de arrombamento da porta de acesso a Casa Paroquial.

Protázio somente tomou conhecimento do furto, quando foi realizar a celebração da Santa Missa das 05 horas, quando desceu do seu quarto e deparou-se com tudo remexido na sala da secretaria.


As imagens do ladrão foram gravadas e serão entregues a polícia para ajudar nas investigações. 

SUICÍDIO: É POSSÍVEL PREVENI-LO?

Setembro é conhecido mundialmente como o mês de prevenção ao suicídio. 




Todos os dias, cerca de 34 brasileiros se suicidam, taxa superior a das vítimas de aids e de diversos tipos de câncer. E para cada morte desse gênero, em média, 5 ou 6 pessoas próximas ao falecido sofrem consequências emocionais, sociais e econômicas.

Na cartilha de prevenção ao suicídio da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina, eles revelam que de cada 100 brasileiros 17 já pensaram, ao menos uma vez, em tirar a própria vida. Vale lembrar que fazem parte do que habitualmente chamamos de comportamento suicida os pensamentos, os planos e as tentativa de tirar a própria vida.

É importante destacar, antes de tudo, que suicídio não deve ser visto como uma decisão individual, de expressão do livre arbítrio. Tampouco é um ato de “coragem” perante um sofrimento extremo. Isso porque, conforme explica Karen Scavacini, psicóloga e fundadora do Instituto Vita Alere de Prevenção e Posvenção do Suicídio, as pessoas que concretizam esse ato estão passando quase que invariavelmente por uma doença mental que altera, de forma radical, a sua percepção da realidade.

“Quem toma esse tipo de atitude sempre está muito cheio de sofrimento e acaba ficando cego por conta disso. Não enxergam nenhuma solução possível no momento. Então, o tratamento da doença mental é um dos pilares mais importantes de prevenção. Cerca de 90% dos casos poderiam ter sido evitados se a vítima tivesse recebido ajuda de qualquer pessoa, além de profissionais, pois após o tratamento o desejo de se matar diminui”, complementa a especialista.

Mas como é possível ajudar alguém que esteja passando por problemas graves e ainda ter condições de suspeitar de que a pessoa tenha plano de tirar a própria vida? A psicóloga reforça que na grande maioria das vezes, o indivíduo dá sinais de sua intenção. Entretanto, como não estamos tão acostumados a ouvir e escutar o outro com clareza, esses sinais passam despercebidos ou só fazem sentido após o suicídio. Ou então, o que é muito comum, não levamos a sério a declaração e a interpretamos equivocadamente como uma brincadeira de mau gosto.

“Pergunte com todas as letras se você, de repente, suspeitar da intenção de algum amigo ou familiar. Mas pergunte querendo ouvir, porque no geral o indivíduo acaba desabafando. Questione sobre o plano, os motivos, as consequências, esteja com tempo. Isso pode ser de uma ajuda extrema. O grande diferencial é mostrar que você se importa. Ofereça ajuda se achar necessário, como apoio psicológico, psiquiátrico e instituições confiáveis. E se a atitude for extrema (ameaça direta de se jogar da janela, se cortar), é necessário uma tomada de decisão imediata: leve a pessoa para um pronto-socorro ou ligue para o Samu (192)”, ensina Scavacini.
Um exemplo de algo que pode ajudar nos momentos de crise suicida é o CVV (Centro de Valorização da Vida – telefone 141). Os telefones não possuem bina e os atendentes (todos voluntários) nunca irão perguntar o nome da pessoa. O CVV não trabalha com aconselhamento, não dá opiniões, tampouco faz qualquer espécie de julgamento.

“Por trás de uma ligação sempre existe um sofrimento muito grande. Perdas, separações, solidão, gente que liga só para conversar. A pessoa liga desesperada, mas depois que coloca tudo para fora se sente melhor. A gente não se envolve, só damos a oportunidade do outro falar. E muitas vezes verbalizando ele consegue compreender melhor o que está acontecendo”, diz Carlos Correia, de 63 anos e voluntário há 24 anos.

Os voluntários não têm condições de fazer nenhum diagnóstico, o que eles fazem, na verdade, é ouvir. Mas, por meio da conversa – e se a pessoa pedir -, eles conseguem indicar locais específicos e gratuitos onde é possível conseguir ajuda, seja para um tratamento para dependentes químicos, prevenção ao suicídio, luto difícil etc.
Mas, tenha consciência que, às vezes, os sinais de que a pessoa está pensando em cometer suicídio não são tão sutis, mas envolvem alguns comportamentos quase típicos como: estocar ou comprar uma enorme quantidade de comprimidos, comprar armas, deixar pendências resolvidas, dar algo de muito valor para alguém que ela goste muito, ter tentado tirar a própria vida anteriormente, entre outros.

“Na dúvida sempre questione. Além disso, se a pessoa confessar o desejo e, de repente, lhe pedir para manter segredo, não faça isso. Porque, na verdade, você pode estar colaborando para que ela ponha o plano em prática”, explica a psicóloga.

Importante: se você estiver lendo este texto e passando por problemas sérios ou conhecer alguém que esteja, não tenha medo de procurar ajuda. Suicídio é uma solução permanente para um problema temporário.

Informações: *
Você também pode:
– Procurar um psicólogo ou um grupo de apoio;
–  Ligar para o Centro de Valorização da Vida (CVV), cujo telefone é 141 e o site: www.cvv.org.br
– Criar um plano de ajuda, com o que fazer e para quem ligar quando você se sentir em crise;
– Tentar descansar, comer e não abusar de álcool ou drogas – as coisas sempre parecem muito piores quando estamos com fome, cansados e com a consciência alterada.


* Informações disponibilizadas pelo Vita Alere

Nova lei prevê desempenho mínimo nas urnas para candidato a vereador.



Uma mudança na legislação aprovada pelo Congresso na reforma eleitoral do ano passado – e que será aplicada pela primeira vez na eleição deste ano – estipulou uma espécie de "nota de corte", diferente em cada cidade, para um candidato a vereador se eleger.

Pela nova regra, os candidatos a deputado federal, deputado estadual e vereador necessitarão obter, individualmente, um total de votos de pelo menos 10% do quociente eleitoral, que é calculado dividindo-se o número de votos válidos da eleição (sem brancos e nulos) pelo número de cadeiras disponíveis na Câmara dos Deputados, na Assembleia Legislativa ou na Câmara Municipal.

Isso está fazendo com que, na campanha deste ano, partidos peçam aos seus eleitores para que abandonem a prática do voto de legenda (aquele em que o eleitor vota só no partido e não especificamente em um candidato)

O voto de legenda se soma aos votos que os candidatos obtêm individualmente para fins de se calcular o quociente partidário, que determina o número de vagas na Câmara Municipal ao qual o partido (ou coligação) terá direito – para isso, divide-se o número de votos válidos que o partido ou coligação obteve pelo quociente eleitoral.

Com a mudança introduzida pela reforma eleitoral do ano passado, o voto na legenda contribui para o quociente partidário, mas não ajuda os candidatos a vereador, individualmente, a alcançar os 10% do quociente eleitoral.
Um exemplo: se em determinado município, houve 100 mil votos válidos na eleição, e as cadeiras em disputa na Câmara são 10, o quociente eleitoral é 10 mil.

Nessa hipótese, com a nova regra, o candidato precisa de pelo menos mil votos (10% de 10 mil) para ter chance de se eleger.
Assim, se um partido recebeu 50 mil votos (somados os votos em candidatos e na legenda), e o quociente eleitoral é 10 mil, o resultado da conta dá 5. Portanto, o partido terá direito a cinco vagas.

Se, por hipótese, o quarto e o quinto colocados desse partido não alcançaram, na votação individual, 10% (mil votos) do quociente eleitoral (10 mil votos), o partido perderá essas duas vagas e ficará somente com três.
Nesse caso, a Justiça Eleitoral fará um novo cálculo, e as duas vagas serão transferidas para outro partido ou coligação cujos candidatos cumpram o requisito.



domingo, 25 de setembro de 2016

Com aplicativos para celular eleitor para denunciar compra de voto e acompanhar resultados da eleição.



De olho na conectividade cada vez maior dos brasileiros, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desenvolveu aplicativos para smartphones e tablets para que os eleitores participem mais ativamente do processo eleitoral deste ano. Com os apps, é possível acompanhar o resultado das eleições municipais, fazer denúncias de irregularidades e até participar da verificação do número de votos registrados nas urnas eletrônicas. 

Uma das principais apostas do TSE para este ano é o aplicativo Pardal, que permite que os eleitores façam denúncias de propaganda eleitoral irregular, tanto nas ruas como na internet e em veículos de comunicação. A denúncia é feita pelo próprio aplicativo, com o envio de fotos, vídeos ou áudios. Por exemplo, se um eleitor encontrar um outdoor de um candidato na rua, que é proibido, pode tirar uma foto e mandar pelo aplicativo, que automaticamente envia a denúncia para análise do Ministério Público Eleitoral. Também é possível denunciar outras irregularidades como compra de votos, uso da máquina administrativa ou gastos irregulares.

Veja aqui quais são as condutas proibidas aos candidatos.

Outra novidade deste ano é o aplicativo Boletim na Mão, que permite que, ao final da votação, os eleitores conheçam os votos depositados em uma urna eletrônica específica. Quando a eleição é encerrada, a urna apura os votos automaticamente e imprime o resultado em papel, que é distribuído para os fiscais e afixado na porta da seção eleitoral. O boletim tem um QR code, que é uma espécie de código de barras que pode ser escaneado pela maioria dos aparelhos celulares com câmera fotográfica. Com esse código, por meio do aplicativo, o cidadão poderá ter as informações dos votos daquela urna para depois comparar com o que é divulgado oficialmente.

Com o aplicativo Candidaturas, o eleitor pode analisar os dados de cada candidato, como nome, foto, planos de governo e dados de prestação de contas. O eleitor também pode “favoritar” seu candidato, para acompanhar seu desempenho posteriormente. “Essa é uma característica do eleitor brasileiro, de esquecer do candidato em quem votou, principalmente considerando nos cargos proporcionais”, diz o secretário do TSE.
.
Veja alguns aplicativos disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral para as eleições deste ano:

Pardal
– Permite a notificação de irregularidades nas campanhas. Ao identificar um problema, o cidadão tira uma foto e, por meio do aplicativo, envia as evidências para a Justiça Eleitoral no estado ou município, que fará a análise da denúncia.

Candidaturas - Permite que o eleitor acompanhe o seu candidato e acesse informações como nome, número, situação do registro de candidatura, cargo, partido, coligação e o link para o site do candidato. O dispositivo também exibe os dados da prestação de contas dos políticos.

Boletim na Mão – Permite que o eleitor confira as informações contidas nos Boletins de Urna, que são impressos após o encerramento da votação e afixados nas seções eleitorais. Estará disponível nos próximos dias

Resultados – Vai permitir acompanhar, em tempo real, os dados do resultado da eleição em todo o Brasil. Também permite selecionar os candidatos favoritos e selecioná-los para acompanhar a apuração. Estará disponível nos próximos dias