Páginas

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

PSDB não fez "acordo" em CPI, diz Aécio.


O presidente do PSDB e candidato derrotado ao Palácio do Planalto, senador Aécio Neves, divulgou nesta quinta-feira (6) uma nota na qual diz que o partido que preside não fez "qualquer tipo de acordo" para barrar as apurações da Comissão Parlamentar de Inquérito mista da Petrobras. Na sessão da CPI, uma articulação de parlamentares da base aliada e da oposição impediram a votação de requerimentos para chamar para depor integrantes do PT e do PSDB, como a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o próprio Aécio.

"O PSDB não pactua com qualquer tipo de acordo que impeça o avanço das investigações da CPMI da Petrobras", afirma a nota. "Lutamos pela instalação da CPMI. Temos de ir a fundo na apuração do chamado 'Petrolão' e na responsabilização de todos que cometeram eventuais crimes, independentemente da filiação partidária", completa.

Na nota, o tucano diz que essa é a "posição inarredável do PSDB". Em seu primeiro discurso no plenário do Senado após o segundo turno presidencial, Aécio condicionou a abertura do diálogo com Dilma às investigações das denúncias que envolvem a Petrobras. "Qualquer diálogo tem que estar condicionado ao aprofundamento das investigações e exemplares punições daqueles que protagonizaram o maior escândalo de corrupção do país conhecido como petrolão", afirmou o senador mineiro, que foi efusivamente aplaudido em plenário.

O tucano disse que o esquema de corrupção só veio à tona porque não foi possível abafar os delatores do esquema da Petrobras. Aécio afirmou ainda que esconder e camuflar são a tônica do atual governo. Ele mencionou que a corrupção chegou a níveis nunca antes atingidos no país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário